terça-feira, 29 de janeiro de 2008

propostas calvinistas


embora o pensamento calvinista possa ser reconhecido como uma árvore frondosa, dando múltiplos frutos à humanidade, a identificação da sua colaboração não é absolutamente uniforme; em linhas gerais, reconhece-se o pensamento reformado através dos 5 solas da reforma, dos 5 pontos do calvinismo, ou mais detalhadamente através das confissões e catecismos históricos filhos da linha calvinista da reforma protestante do séc. XVI.

normalmente, o pensador calvinista é disciplinado na sua análise, sistemático na organização das suas idéias, lógico na sua argumentação e racional na sua abordagem. além disso, o calvinista clássico assume como ponto fundamental e basilar para todo o seu discurso, pensamento e ação: a absoluta submissão às escrituras sagradas, as quais reconhece como normativa, autoritativa e inerrante; e tem no limite oposto, como ponto final de todo o seu pensamento e da sua vida, o propósito de fazer tudo convergir para a glória divina.

tais características acima descritas do pensador calvinista tendem a colaborar para o seu perfil de diagnosticador preciso; sendo assim, comumente ele tende a ser um excelente avaliador teológico, desempenhando muito bem o papel de consultor bíblico. no entanto, se analisarmos a história da tradição calvinista, perceberemos que os grandes vultos desta vertente, assim como as grandes contribuições desta corrente teológica são verificados propriamente pela sua excelência nas propostas que fizeram, pois indo além da necessária e eficiente denúncia dos erros dos seus dias, os calvinistas clássicos propuseram todo um sistema de valores, conceitos e métodos, que ainda que não fossem uniformes, demonstravam claramente o seu vigor através da riqueza dos seus argumentos, absolutamente derivados de uma busca de reforma verdadeira segundo as escrituras sagradas, demonstrando o desejo sincero de ver a sua vida e a daqueles que lhe estavam próximos refletindo melhor a imagem de Cristo que estava sendo neles restaurada pela graça divina.

em virtude desdes dados e por entender que estes dias de redescoberta do calvinismo são propícios e favoráreis à restauração deste espírito, é que este blog foi criado; com a intenção de ser um fórum aberto para a discussão de propostas de idéias que estejam afinadas com os pressupostos do pensamento calvinista clássico conforme anunciado no início deste post, destacados em vermelho.

se você que está lendo estas palavras também sonha com um debate aberto, franco, respeitoso e sincero em torno dos conceitos bíblicos e reformados; se você é desejoso de ver um cristianismo saudável e pró-positivo, que trabalha em torno da busca de um sistema bíblico integrado de significados e capaz de responder às questões atuais da vida cotidiana (desculpem o pleonasmo) à luz das escrituras sagradas; se você está comprometido com o interesse de discutir e vivenciar uma religião referenciada pela glória divina; ou se você se identifica com os princípios reformados acima estabelecidos, este é o seu blog, ele foi elaborado não apenas para você ler, mas mais do que isto, foi pensado para você participar, dando a sua opinião, estimulando-o a orar pela igreja cristã brasileira e buscando um crescimento sincero através de um debate respeitoso.

para calvinistas, participar de um debate aberto com possíveis divergências e reconhecimento fraterno de uma unidade superior às divergências de idéias é comumente uma tarefa difícil; os dedos rápidos, a mente argura e a língua penetrante são características comuns presentes entre os membros desta tradição; sendo assim, recomendamos moderação; e desde já, anunciamos, que a nossa intenção é criar um fórum de debates que deve primar pelo respeito à divergência debaixo dos paradigmas essenciais inicialmente aqui postados.

sendo assim, saudamos a todos com um "sonoro bem-vindo", assim como esperamos sinceramente ser edificados e abençoados com o debate e desejamos igualmente o enriquecimento mútuo através da respeitosa apresentação, confrontação, análise e livre expressão de idéias, na busca de contemporâneas, legítimas e relevantes...

propostas calvinistas...

13 comentários:

Anônimo disse...

Que bom! Foi com muita alegria que eu soube da criação deste blog por indicação de um amigo. Os organizadores estão de parabéns! Especialmente porque é um espaço aberto para o debate das idéias reformadas, sem conotações pessoais. Assim, temos mais liberdade para nos expressarmos.
O que tenho conhecido do pensamento reformado tem me encantado, pois prima pela glória de Deus; e discutir em como refletirmos o mesmo pensamento em nossa realidade brasileira e contemporânea será, sem dúvida um grande desafio.
Que Deus nos abençoe nesta jornada!

Anônimo disse...

Quer dizer que devemos, então, fazer uma re-leitura dos símbolos de fé históricos reformados? a revisão destes símbolos de fé não indicam um caminho de liberalismo teológico? Não é suficiente a subscrição a um símbolo de fé histórico? Será que o que ali está expresso deixou de ser verdadeiro? A verdade é relativa à época e às culturas? Estas coisas precisam ser melhor explicadas!

um curioso disse...

Um leigo no calvinismo pode ficar muito confuso com este post, pois ele parece indicar que não há uniformidade de pensamento na fé calvinista! Pode um calvinista crer diferente de um outro calvinista? E este negócio de calvinismo brasileiro e contemporâneo não é coisa de liberal? E digo, mais, a Bíblia Sagrada não é suficiente? Este negócio de calvinismo não é um endeusamento de homens? Qual é a diferença entre isto e a tradição católico-romana?

Anônimo disse...

Particularmente, conheci a Fé Reformada através da literatura e de sermões que exalta a majestade de Deus e a sua glória. Dos calvinistas históricos chamou-me a atenção a erudição bíblica e a piedade fervorosa. Talvez eu tenha me sentido assim atraído por esta tradição protestante não apenas porque expressa tão fielmente o ensino da Escritura Sagrada, mas porque eu precise tanto das graças que me parece emanar desta árvore. Fico feliz com a iniciativa e desejo ver mútua edificação, sabendo nós superar as nossas diferenças.

Cristiano disse...

Há batistas calvinistas, e clássicos como Spurgeon; conheço congregacionais calvinistas; até pentecostais que aceitam alguns aspectos do calvinismo, inclusive o SOLA SCRIPTURA, não aceitando revelações normativas extra-bíblicas, mas a contemporaneidade dos dons e a glossolalia como o "dom de línguas". Creio que se nós conseguirmos fazer todos se acentarem e comungarem de um santo desejo de união cristã, todos serão abençoados. Parabéns pela iniciativa.

Isaías disse...

estimados leitores de "propostas calvinistas"; eu sou reformado por convicção, membro de uma igreja confessionalmente reformada e vejo com alegria o interesse pela fé reformada. concordo que é necessário haver alguma tolerância entre nós, para que a causa maior seja promovida. eu já vi muita gente que se diz reformada não se entender; aliás, conta-se que na época dos puritanos houve até o caso de uma esposa de pastor que foi congregar em outra igreja porque não concordava em tudo com o seu marido. rs. uma lástima. que Deus nos dê uma graça maior em terras brasilis, onde até pela graça comum todos os credos convivem em paz.

Anti-calvinista disse...

vocês são os responsáveis por esta busca desenfreado por riqueza e dinheiro em nome de Deus, pois Calvino disse que o sinal da eleição era a riqueza e o sinal da predestinação para o inferno era a pobreza. como podem querer se entender se vocês calvinistas estão mais interessados em dinheiro e poder?

Antônio disse...

Eu me espantei quando li este blog, pois o que eu conheci de calvinismo foi através de uma pessoas aqui da minha região que ficam aperriando os outros crentes dizendo que ninguém está seguindo a Bíblia direito; que o culto está todo errado; que chamar as pessoas para aceitar Jesus é errado; e que tudo o que a igreja faz é coisa do diabo. Deus quer que a gente tenha uma igreja igual a de Calvino? É isto o que vocês estão defendendo, é? Calvino morreu, a igreja é de Deus; e está no Brasil.

Anônimo disse...

Que calvinismo vocês estão defendendo? Uma retrocesso ao modelo litúrgico do séc. XVI? Tô fora! Somos brasileiros e estamos no século 21; Deus nos abençoou com peculiaridades que os frios europeus não conheciam. Abram os olhos e parem de brigar com o povo de Deus no Brasil.

um calviniano disse...

O que é ser calvinista? Seria por acaso papaguear símbolos de fé produzidos em circunstâncias históricas e culturais distintas das nossas? Será que Calvino e os demais reformadores insistiriam nas mesmas respostas e apresentariam os mesmos modelos se estivessem vivos hoje? Os tempos mudaram e com esta mudança vieram outras questões; novas luzes vieram sobre a igreja cristã, que se quiser ser legitimamente calvinista, não deve insistir em repetir idéias antigas como se fossem "propostas calvinistas"; isto é ser medíocre. Certamente, precisamos de lucidez para dar as respostas cristãs relevantes à nossa época contemporânea. Não simplesmente repitamos as idéias de Calvino, mas sejamos herdeiros do seu espírito.

Anônimo disse...

Gostei do que li e estou aguardando com expectativa o desenvolvimento dos debates. Os comentários postados pedem respostas; quando elas virão?

Alexsandro disse...

Ao Anti-calvinista.

Onde Calvino fala isso, ou, onde Calvino escreveu isso? Cite por favor a fonte. Parece-me que você é mais um daqueles que sabem absolutamente tudo sobre Calvino sem ao menos ler um de seus livros, sem compreender em profundidade seu pensamento.

Roberto disse...

Confesso que no decorrer da minha vida acadêmica , o calvinismo sempre foi tido como um suporte para a ascensão do capitalismo moderno.Ex: "Que os predestinados são reconhecidos pelo seu status econômico e acumulação de riquezas".Mas lendo as Institutas de Calvino e refletindo-as , conclui que a preocupação principal de Calvino era com a espiritualidade , com a salvação em Cristo Jesus.Tudo o que se refere ao material , ao político e ao econômico na visão Calvinista são conseqüencias de uma Ética cristã consistente , baseada em verdades bíblicas , onde tudo é feito com a permissão do SENHOR e para a sua glória.